1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Erro
  • XML Parsing Error at 1:131. Error 9: Invalid character

As relaes entre f razo (III)

Fonte: http://contraimpugnantes.blogspot.com/2009/12/as-relacoes-entre-fe-razao-iii.html


Sidney Silveira


Um erro to mais daninho quanto mais excelsa e importante a matria em que se d. Ora, em ltima instncia nada pode ser mais importante, para a nossa vida prtica, do que a f que salva. Logo, um erro relacionado f , em certo sentido, o que de pior pode haver.

Ademais, parvus error in principio magnus est in fine. Essa mxima de Santo Toms no opsculo De Ente et Essentia aplica-se perfeitamente ao problema das relaes entre a f e a razo, e as conseqncias dos erros nesta matria so, de fato, funestas: pietismo/fidesmo, naturalismo, racionalismo e, como efeito remoto, em todos estes casos devm um dramtico enfraquecimento da f; no raro a sua perda.

A soluo tomista para este magno problema suficiente, convincente e, em suma, definitiva. E o primeiro princpio de que parte o Aquinate o seguinte: as verdades da f crist no contrariam as verdades da razo (quoad veritati fidei christian non contrariatur veritas rationis, Suma Contra os Gentios, I, 7). Em sntese, tanto a f como a razo nos foram dadas por Deus e ambas so, em si, fontes da verdade, a qual em Deus mesmo una, mas no assim em nossa maneira de conhec-la, que compondo e dividindo raciocnios. A propsito, a integralidade da verdade s a teremos na viso beatfica; por enquanto, a verdade chega-nos sempre em pedaos que, com muito esforo, vamos juntando e abrangendo a nossa viso de conjunto desse conjunto extraordinrio da ordem do ser.

Outro princpio fundamental, e to esquecido pelos neotelogos modernistas, o seguinte: a f est acima da razo e, portanto, no pode ser demonstrada por esta ltima. Assim, que Maria sempre Virgem, que Cristo desceu manso dos mortos e ressuscitou ao terceiro dia, etc., no so dados cientficos, mas verdades da f s quais anumos simplesmente porque Deus as revelou (non enim fides (...) assentit alicui, nisi quia est a Deo revelatum. Suma Teolgica, II-II, q.1, a.1). Na prtica, tudo o que cremos (obiectum materiale) verdade, e a verdade eterna e primeira aquilo pelo qual cremos (obiectum formale).

Neste contexto, sendo a verdade o objeto tanto da f como da razo, como distinguir com proficincia estas duas? Aqui, o gnio do Aquinate resolve o problema apelando a uma trplice distino, exatamente nos pontos em que, como dissemos no primeiro artigo desta srie, havia confuso: a) com relao origem; b) com relao aos conceitos implicados numa e noutra; c) com relao aos domnios que cada uma possui.

DISTINO TOMISTA COM RELAO ORIGEM DA F
A f dom gratuito de Deus, e sem a moo divina o crente no daria o seu assentimento a nenhuma das verdades da f. Como se v, no se trata, em absoluto, de uma conquista humana proveniente ou de alguma ascese, ou de algum conhecimento, ou de alguma prtica moral positiva. H pessoas ascticas, conhecedoras de muitas coisas e moralmente boas que no esto na f (algumas delas inclusive trabalham contra a f). Por outro lado, h pessoas ignorantes, nada ascticas e cheias de problemas de ordem moral que crem verdadeiramente, lutam o bom combate, se arrependem dos seus pecados, freqentam os sacramentos e no tentam moldar as verdades de f s suas prprias convenincias. Aceitam o depsito da f em sua totalidade.

A f tem, pois, origem divina (Suma Teolgica, II-II, q. 6 a.1), e no humana, mesmo quando colocamos na balana os motivos de credibilidade subministrados pela razo f. Pois a razo, para compor juzos e dar o seu assentimento a alguma verdade, parte fundamentalmente de evidncias, enquanto a f parte da pura e simples anuncia autoridade divina.*


* Vale abrir um pequeno parntese para dizer que uma longa tradio agostiniana incluindo nela, neste tpico, Alberto Magno creditava todo e qualquer conhecimento humano a um influxo de Deus imediato (a tese iluminao divina). Este erro acarretou uma srie de aporias ao longo de sculos, as quais s se resolveram com Santo Toms.
***************************************************************************
 

Hora certa:

00:00:00

Artigos e Trabalhos

Convidamos voc a percorrer, com calma, nosso site, contemplando, em cada pgina, uma experincia de transcendncia, que o transporte para um mergulho espiritual... Leia mais

Alunos

O segundo semestre de 2019 conta com 27 acadmicos de filosofia, das dioceses de Palmas - Francisco Beltro, Guarapuava e Foz do Iguau.